Gestão Ambiental monitora a flora na BR-116/RS

Publicado por Bira Costa em 02/03/2015 às 09h45

Redação Online

Fotos: STE/Amanda Montagna

Duplicação da BR 116Supressão da vegetação e limpeza de terreno são dois dos principais serviços executados atualmente no lote 01 das obras de duplicação da BR-116/RS.

Com extensão de 24.460 metros - do km 300 540 ao km 325 000 - o trecho abrange áreas dos municípios de Guaíba e Barra do Ribeiro.

Antes da realização desta atividade, técnicos da Gestão Ambiental (STE S.A.) do empreendimento fizeram a marcação de espécies arbóreas ameaçadas de extinção e imunes ao corte, prática que antecedeu o início das obras em todos os nove lotes da BR-116/RS.

Com as plantas identificadas e georreferenciadas, é possível transplantá-las para locais com características similares às de origem.

A realocação de espécies diretamente para o seu habitat natural tende a reduzir as perdas por falta de adaptação.

Assim, os exemplares são transferidos para terrenos próximos, com prioridade para áreas de preservação permanente.

Ocorre ainda, por meio do Programa de Monitoramento e Conservação da Flora, o resgate de epífitas - denominação dada a plantas que vivem sobre outras plantas (orquídeas, bromélias e o cravo-do-mato).

Visando garantir que procedimentos adequados reduzam os impactos sobre a flora local, a equipe de Supervisão Ambiental acompanha o avanço diário das frentes de supressão.

Andamento das obras entre Guaíba e PelotasObras na BR 116

Conforme dados de janeiro do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), as obras no lote 01 também abrangem serviços de terraplenagem, base da pavimentação e asfalto.

Neste último quesito, vale destacar que ao longo de todo o empreendimento (km 300 ao km 511), entre Guaíba e Pelotas, já existem aproximadamente 45 quilômetros asfaltados. 

Além disso, a metade das pontes previstas no projeto já está pronta, aguardando apenas a laje de aproximação da nova pista.

Viadutos também estão em construção na rodovia, como nos acessos a Turuçu (km 483) e Arroio do Padre (km 511), onde as obras estão na etapa da superestrutura.

Já na interseção de Barra do Ribeiro (km 319), a construtora trabalha na execução do solo armado.

De acordo com o superintendente regional do DNIT, Pedro Luzardo Gomes, a obra deve ser entregue até o final de 2015. “A duplicação da rodovia andou mui­to bem em 2014, inclusive com lotes que avançaram além do programado. Por isso, esperamos concluir a obra ainda neste ano”, avalia.

Monitoramento de Ruídos chega a 15 campanhas na BR-116/RS

Monitoramento de ruídosIniciadas em outubro de 2012, as campanhas do Programa de Monitoramento de Ruídos chegaram a 15 edições no mês de fevereiro de 2015.

Realizadas a cada dois meses, as amostragens avaliam os níveis de poluição sonora gerados durante a duplicação da BR-116/RS – de Guaíba a Pelotas.

A partir dos dados coletados, a equipe da Gestão Ambiental (STE S.A.) do empreendimento pode propor medidas de controle e mitigação dos possíveis impactos decorrentes das obras. 

No entanto, as principais fontes de ruídos observadas até o momento decorrem do próprio tráfego de veículos da rodovia.

A aferição ocorre com uso de decibelímetro, equipamento que mede os níveis de pressão sonora.

Os indicadores obedecem a parâmetros da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). 

Dados complementares como temperatura, umidade relativa do ar e velocidade do vento também são levados em consideração na hora da medição. 

Os pontos analisados estão descritos no Plano Básico Ambiental (PBA) e acompanham o deslocamento das frentes de obra, sendo que o nível máximo de som permitido é definido de acordo com a caracterização ambiental do local e seu público, que inclui colaboradores, comunidades e fauna da região.

Além das campanhas regulares, técnicos da Supervisão Ambiental atuam diretamente na rotina das obras observando atividades com potencial para emissão de ruídos, como a execução de terraplanagem, exploração de jazidas e o transporte de materiais por veículos automotores.

Em parceria com a equipe do Programa de Educação Ambiental, oficinas e palestras são realizadas com os colaboradores do empreendimento. Entre os temas abordados está a utilização correta dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), os quais incluem o protetor auricular.

O conteúdo está contemplado no Manual do Trabalhador - um guia prático com noções sobre segurança do trabalho, cuidados pessoais, preservação do meio ambiente e respeito à comunidade do entorno.

Categoria: Meio Ambiente
Tags: Duplicação BR 116, Gestão Ambiental, online, STE, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||