Resfriamento no Pacífico continua, mas ainda não há confirmação da La Niña

Fonte: IRGA/Por Jossana Cera

irgaAssim como em agosto, setembro também foi marcado por chuvas acima da média.

As áreas com precipitações acima do normal ficaram concentradas na metade sul do RS, com os volumes mais expressivos na região metropolitana de Porto Alegre e parte da região da Campanha, entre Dom Pedrito e Bagé (Imagem 1).

As condições de Neutralidade climática continuam presentes como se observa na Imagem 2, com grande parte da área do retângulo na cor branca, ou seja, anomalia próxima à zero.

Desde a segunda quinzena de agosto que anomalias de águas frias têm surgido em superfície. Lembrando que o retângulo mostra a região do Niño3.4, região que os centros internacionais utilizam para calcular o Índice Niño (índice que define eventos de El Niño e La Niña). 

A área marcada pelo círculo, no Oceano Atlântico Sul, mostra uma região aquecida e deslocada um pouco para sul. Por vezes, esse aquecimento traz mais umidade na região à oeste ao aquecimento e, pode ocasionar o aumento de precipitações nessa região.

As previsões do IRI (International Research Institute for Climate and Society, da Universidade de Columbia-EUA) vêm apresentando entre 50-60% de probabilidade de La Niña e entre 40-50% para a Neutralidade.

Vale ressaltar que a influência mais forte e significativa, tanto da La Niña quanto do El Niño ocorrem durante a primavera. Com essa possível La Niña iniciando agora, durante a primavera, dificilmente sentiremos os efeitos dela, até porque, se ela acontecer, será fraca e curta, como no ano passado.  

Os modelos de previsão para a precipitação também estão muito distintos entre si. O modelo do IRI mostra que o trimestre OND será de precipitação abaixo da média nas regiões de fronteira com o Uruguai.

Já o modelo utilizado pelo CPPMet da UFPel/INMET (Imagem 3) prevê áreas com chuva um pouco acima da média na Campanha e parte da Fronteira Oeste para Outubro. Novembro se mostra com chuvas entre 50 a 85 mm abaixo da média histórica em boa parte do estado. E Dezembro a região com chuvas abaixo da média ficariam na região sul do RS.irga

Lembrando que no ano passado esse modelo também vinha mostrando chuvas abaixo da média, porque ele “via” a possibilidade de La Niña, mas não foi isso que observamos na maioria das regiões.

Devido ao excesso de chuvas em setembro e nesse início de outubro, a evolução da semeadura do arroz no Rio Grande do Sul está muito atrasada em relação aos últimos anos.

O últimos dados levantados pelo IRGA (DATER/Política Setorial), é de que apenas 6% da área foi semeada até dia 05 de outubro.

E segundo às previsões de prazo mais curto, as chuvas ainda se manterão pelo menos até dia 15 de outubro, com maior expressão nas regiões orizícolas próximas à metade norte do RS.

*Jossana Cera é meteorologista, doutora em Engenharia Agrícola pela UFSM e consultora do Irga

Tags: IRGA, La Nina, Meteorologia, online, Tapes

Enviar comentário

voltar para Estado

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||